Você é bom em quê?

É importante saber sobre si. Saber sobre si não tem que ser algo difícil, penoso e complicado. Muitas vezes, já sabemos o que podemos fazer ou em que Somos Bons, mas não olhamos para esse saber com a devida atenção.

Há muita teoria, estrutura e informações sobre o que vamos conversar aqui, mas nesse momento, a proposta é dar maior relevância à prática e às vivências sobre em que Você é Bom. Aproveite para praticar.

O campo de estudo, trabalho e prática a qual me dedico há quase três décadas são voltados para o desenvolvimento de pessoas, seja nas áreas de Recursos Humanos em empresas, prestando Consultoria ou em meu consultório como Coach e Psicanalista.

Mesmo passando todo esse tempo e após centenas de atendimentos ainda me surpreendo como as pessoas não acompanham as mudanças naturais e as não naturais delas mesmas, da vida e do mundo.

Não temos o hábito de observar e usar o que vemos e aprendemos, desde mudanças que impactam nossas vidas, até o quanto podemos Ser. Chegamos ao cúmulo de muitas vezes nos violentarmos não Sendo o que podemos Ser, não usando aquilo em que Somos Bons.

Mesmo com tantas evidências que tudo muda o tempo todo, se desenvolve, melhora, transforma, regride, sofre impactos, inovações, etc., há um olhar sobre modelos (antigos, fechados, sem flexibilidade) como únicas formas de se manter física, psíquica, materialmente, socialmente. E pasme! Simplesmente sem levar em consideração o saber e praticar aquilo em que Somos Bons.

Vamos simplificar. Estou dizendo sobre quem podemos Ser a partir daquilo em que Somos Bons, ou seja:

Saber em que Somos Bons tem a ver com o que fazemos bem. Praticar nossa habilidade com consciência de que é isso que fazemos bem nos conduz na direção de nos fortalecer e nos tornar mais seguros. Essa mudança pode transformar sua vida.

Sempre haverá alguém para determinar como você deverá viver. Tente não violar a sua própria forma de Ser. Em que Você é Bom muitas vezes não tem nada a ver com o que essas adequações lhe impõem.

Não pretendo romantizar a vida e mostrar que as coisas são fáceis. Mas sabemos que a vida pode ser muito mais bem vivida se ela fizer sentido para cada pessoa a partir do que ela é.

Se apropriar do que Você é Bom está estritamente ligado a mais qualidade de vida.

As influências que recebemos na nossa formação e nossas vivências emocionais, em nossa família, com amigos, grupos aos quais pertencemos, sociedade de um modo geral, são importantes, precisamos considerar tudo o que nos envolve, porém quem nos defini somos nós mesmos.

Para começar a refletir sobre em que Você é bom inicie com esses quatro pontos:

  • Faça uma lista do que você já percebeu que tem habilidade. Desde as coisas mais simples até as mais complexas;
  • Veja o que há em comum entre essas habilidades;
  • Separe quais habilidades são relacionadas a: pessoas, ideias, números, palavras ou coisas;
  • Compare com atividades, profissões, ofícios, projetos.

Com planejamento é possível organizar-se e cuidar para que suas habilidades possam ser aproveitadas a seu favor.

O primeiro passo é aprender a administrar melhor aquilo que aprende sobre você no seu dia a dia. Não menospreze seu potencial muito menos sua intuição sobre em que Você é Bom e siga em frente.