A vida precisa fluir… sonhar o sonho!

A vida precisa fluir, viver é sentir, sonhar, fluir; as coisas têm que continuar. Vamos juntos pela busca de clareza sobre nossas escolhas.

Seja qual for a escolha de cada um, nós precisamos nos respeitar e respeitar a escolha do outro.

Quando já não podemos sonhar a solução que se encontra é atuar frente ao outro em relação ao não dizível, ao estranho, àquilo que não se consegue dar sentido.

Estamos em tempos de ataques ao diferente, ataque àquele que não pensa igual, que não sente igual, que não entende igual.

Precisamos levar em consideração que cada um tem sua história de vida, suas marcas, seus medos, suas sensações mais íntimas e que tudo isso, e muito mais, é diferente de pessoa a pessoa, pela própria natureza humana.

Precisamos ver a beleza das diferenças em momentos difíceis. É fácil ver a beleza das diferenças de pensamentos ou diferentes escolhas quando está tudo bem.

É em momentos de tumulto, confusões, interesse divergentes, discordância de opiniões que vamos perceber se as diferenças são respeitadas.

As próximas gerações dependem das escolhas da geração atual.

Os nossos jovens e adolescentes estão mostrando uma tendência a não acreditar no futuro, a não sonhar. Estão sem rumo e com medo de não terem espaços de criar, de pensar e até mesmo de viver dignamente.

Precisamos despertar e produzir um mundo melhor, precisamos ter esse compromisso conosco e com os que estão chegando.

Seja lá quais forem as escolhas que nós possamos reafirmar, nosso respeito pelo próximo e pelo resultado, precisamos contribuir para a continuidade, avançando em direção ao melhor, à paz, e mantermos um compromisso de alteridade.

Deixar fluir, participar ativamente, ao mesmo tempo, percebendo e agindo na direção de que possamos viver em uma sociedade onde não há verdade absoluta, que tende para o dogmatismo.

Precisamos exercitar o crescimento pessoal e coletivo em bases construtivas, de possibilidades e abertura para o sonhar e realizar, criar, enfim, viver.